3 metodologias importantes para a criação de produtos de tecnologia

Depositphotos_5644913_s

Se Darwin estivesse vivo, ele certamente se interessaria pelo mercado de tecnologia. Hoje, os empreendedores de startups precisam lidar com um mercado cada vez mais competitivo e, por conta disso, devem ter uma capacidade de adaptação fora do comum. É preciso investir pesado em inovação para explorar — ou criar — seu nicho de mercado, e todo esse processo deve ser feito de forma organizada de planejada.

Diante desse cenário, uma série de metodologias são criadas para facilitar e potencializar o trabalho dessas empresas. Conceitos novos como Lean Startup, Customer Development e Desenvolvimento ágil de software, entram na rotina dos pequenos empresários, que precisam se esforçar para entregar o melhor produto, com os melhores preços e, acima de tudo, com custos reduzidos.

No artigo de hoje, falaremos um pouco sobre a importância dessas três metodologias para a criação de produtos de tecnologia da sua startup. Confira!

Lean Startup: Eficiência na aplicação de recursos

O conceito de Lean Startup, embora muito amplo, possui duas vertentes principais. A primeira delas é de que toda a startup deve ser enxuta, ou seja, deve trabalhar sistematicamente para reduzir todos os seus desperdícios. Basicamente, os métodos lean usam a estratégia de atuar localmente em cada processo da empresa, para que desperdícios de tempo e recursos financeiros possam ser identificados e cortados. O objetivo é garantir uma qualidade maior para o produto, e um time-to-market mais rápido.

No entanto, a Lean Startup não se resume apenas a isso. Outra questão, levantada por Eric Ries, um dos maiores teóricos sobre Lean Startups, é que as startups devem ser pautadas na tríade Build (construir), Measure (mensurar) e Learn (aprender). Em outras palavras, qualquer startup passa — ou, pelo menos, deveria passar — por um constante processo de aprendizado e aperfeiçoamento, que deve ser trabalho principalmente junto aos consumidores, para saber como o produto se encaixa no mercado.

Customer Development: Transforme o problema em um produto

Essa metodologia foi criada especialmente para as startups, pois trabalha com duas variáveis muito importantes para esse modelo de negócios. A primeira delas, é a capacidade de identificar qual é o problema que o cliente dá mais valor, ou seja, quais são as suas aspirações e dificuldades diante dos produtos oferecidos atualmente. Esse fator está intimamente ligado à inovação.

A segunda, por outro lado, é que o problema deve ser resolvido com a menor quantidade de recursos possíveis (financeiro, humano e tempo), através da concepção e desenvolvimento do produto. A grande questão é que, quando uma startup entra no mercado, ela sempre trabalha com hipóteses e preposições.

A ideia é de que o binômio problema/solução, seja substituído por produto/solução, mas isso só é possível quando produto e problema finalmente se compatibilizam, e isso só acontece através da interação com o consumidor. Desta forma, é preciso sempre tratar o produto como uma hipótese e, como tal, deve ser testado, validado, revisto e renovado.

Desenvolvimento ágil: Uma questão de posicionamento

Por fim, nossa última metodologia é, na verdade, um posicionamento que deve ser adotado por empreendedores. Embora não seja novo — teve seu início em 2001 — o desenvolvimento ágil ainda é uma questão muito debatida dentro das startups. Essa metodologia teve início com o Manifesto Ágil, uma declaração de princípios para o desenvolvimento ágil e eficiente de softwares.

Basicamente, o manifesto possui quatro valores fundamentais, suas prioridades: Indivíduos acima de processos; funcionamento do software acima de documentação; colaboração dos clientes acima da burocracia contratual; capacidade de adaptação acima do planejamento estático. Além disso, o manifesto também estabelece 12 princípios básicos, dentre os quais destacam-se a entrega continua de softwares funcionais para os clientes (trabalhar semanas, em vez de meses); a rápida adaptação às mudanças; e a cooperação (ambiente de desenvolvimento mais flexível do que rígido).

E você, já aplica algum desses métodos na sua empresa? Que outras soluções para startups conhece? Conte pra nós através dos comentários!

 

3 soluções para desenvolver um produto de tecnologia para revender

??????????????????

Chega um momento em que o seu negócio precisa de um upgrade. A saída, na maioria dos casos, é a elaboração de um novo produto. No entanto, no caso das empresas de tecnologia, como sabemos, essa alternativa não é tão simples quanto parece. Para garantir a qualidade do projeto, é preciso apostar em profissionais que realmente entendam do assunto. E mais ainda: é fundamental fazer uma correta aplicação de recursos financeiros para que nada escape do orçamento.

Normalmente o empreendedor busca essa força tarefa externamente, através de empresas especializadas ou freelancers, muito embora também seja comum o remanejamento de profissionais internamente para cumprir com a missão. Qual deve ser a melhor solução? Nesse post, pretendemos abordar um pouco mais sobre essas três principais maneiras para desenvolver produtos de tecnologia para revenda. Com isso, o empreendedor poderá tomar mais cuidados durante esse tipo de planejamento. Confira!

Freelancers: custo pela metade, atenção em dobro

Prática muito comum no mercado de startups, a contratação de freelancers certamente apresenta uma saída para aqueles empreendedores que ainda não contam com um grande aporte de capital para investirem em grandes equipes ou empresas especializadas. Acontece que, apesar dos custos reduzidos, o empresário precisa redobrar sua atenção quando for optar por esse tipo de alternativa.

Sim, existem muitos profissionais competentes no mercado, mas é preciso ter muita confiança na pessoa antes de fechar qualquer contrato com ela. O que se observa na maioria dos casos é que os investimentos não compensam, pois, além de entregarem os produtos desejados fora dos prazos combinados, muitos profissionais acabam não desenvolvendo um trabalho completo e profissional — muitas vezes por não possuírem uma estrutura para o desenvolvimento dos produtos.

Empresas especializadas: uma saída segura

A outra alternativa para o empreendedor é optar por empresas especializadas, que possuam uma equipe de profissionais qualificados para atender a demanda dos seus clientes. Normalmente essa é a escolha mais segura, embora também seja necessário verificar o portfólio da prestadora de serviços para garantir que o produto final realmente terá a qualidade esperada.

O que muitos empresários esquecem é que, ao contar com empresas especializadas para atender o pedido, eles estão, ao mesmo tempo, garantindo o suporte de uma série de profissionais qualificados. Além disso, ao assinar um contrato com uma empresa, todo o relacionamento será estabelecido de maneira mais formal e profissional, representando ainda mais segurança para o empreendedor.

Desenvolvimento interno: alternativa para poucos

Por fim, o empreendedor também pode apostar na sua equipe interna, desenvolvendo o novo produto na própria empresa. Essa também é uma ótima alternativa, no entanto, são poucos os empreendedores que possuem uma estrutura interna para atender essa demanda. A redistribuição de profissionais para lidar com o projeto muitas vezes é uma saída onerosa, já que eles deixarão de executar suas tarefas principais para dar atenção a ele. Além disso, monitorar e acompanhar o progresso do projeto certamente tomará muito tempo de gestão.

E então, qual das alternativas você considera mais viável para o seu negócio? Compartilhe através do espaço de comentários!

 

5 erros na hora de desenvolver um aplicativo

?????e

Vivemos um momento em que os aplicativos representam grande parte da utilização de vários tipos de dispositivos, desde smartphones e tablets até aparelhos de TV e smartwatches. Muitas pessoas têm uma excelente ideia que poderia se transformar em um maravilhoso app, mas o desenvolvimento é complexo e exige habilidades específicas.

Mesmo empresas e iniciativas como startups acabam cometendo alguns deslizes na tentativa de concretizar uma ideia, por vários motivos. Pensando em facilitar a realização desses projetos, vamos listar aqui 5 erros comuns no desenvolvimento de aplicativos, para você saber onde pode errar, e ter menos obstáculos e lançar seu produto com sucesso e visibilidade:

Falta de planejamento

Parece óbvio — e é. Mas muitas vezes, levados pela excitação da ideia, somos tentados a iniciar o desenvolvimento de um produto sem o planejamento adequado. E planejamento não só do aplicativo propriamente dito, pois normalmente ele precisa ser acompanhado por um plano de negócios, para garantir a viabilidade e, eventualmente, a lucratividade do projeto.

Invista tempo e esforços no planejamento, e se livrará de vários outros problemas que podem vir a atrapalhar o desenvolvimento. Pense na estrutura, nas parcerias e integrações, na publicação e divulgação do aplicativo. Conheça a política das lojas de aplicativos, elas vão influenciar diretamente no produto final. E não se esqueça de programar testes e programar margens de segurança nos prazos.

Linguagem de programação inadequada

Dependendo de cada projeto e suas especificidades, como a plataforma ou dispositivo em que vai funcionar, qual o perfil de uso, as integrações e as funcionalidades, uma linguagem de programação pode ser mais adequada do que outras.

Há plataformas que exigem determinados tipos de linguagem. Esta é uma escolha que deve ser feita ainda na etapa de planejamento, portanto, escolha de forma criteriosa, pois mudar isso depois pode representar a volta à estaca zero.

Problemas de usabilidade

Um aplicativo que roda sem problemas no hardware, rápido e com várias funcionalidades, pode acabar sendo nada atraente se a usabilidade é ruim. As telas touchscreens e os dispositivos móveis mudaram a forma com que as pessoas interagem com a informação. Tenha isso em mente e projete pensando no uso e no dispositivo em que seu aplicativo será usado.

Demora no desenvolvimento

Não aconselhamos partir para a correria e lançar logo o aplicativo, mas é fato: quanto mais você demora para publicar o seu trabalho, mais risco corre de outro ser colocado no mercado primeiro. Seu projeto pode até ser melhor, mas pode ser ofuscado por outro que o público adotou primeiro, ou que obteve adesão bastante para tirar você da jogada. Não perca tempo e mãos à obra.

A busca pela perfeição

Este erro está relacionado ao anterior, mas vai além. Não adianta, nenhum produto é perfeito. E o público já está pronto para receber o seu. Portanto, desenvolva um aplicativo que faça o básico, mas que faça bem feito. Lance o aplicativo. E depois, oportunamente, vá implementando melhorias e outras funcionalidades. Tenha em mente que menos é mais, e muitas vezes o usuário não quer um canivete suíço, mas algo para uma tarefa muito específica.

O aplicativo tem que funcionar, e pronto. Satisfaça as expectativas, e ele será tão perfeito quanto um aplicativo pode ser. Deixe sua opinião nos comentários abaixo, e não perca as próximas dicas sobre desenvolvimento de apps e startups. Aguardamos você!

 

3 formas de reduzir os custos com mão de obra?

Depositphotos_25275685_s

Uma empresa tem seu verdadeiro valor nos seus funcionários. E isso pesa de maneira tremenda no orçamento, pois para ter o que há de melhor no mercado é preciso investir bastante na contratação e qualificação de profissionais de ponta. Mas como todo negócio visa o lucro, o que for possível de se abater em termos de gastos é sempre bem-vindo, e a tecnologia pode ajudar muito nisso.

Existem alguns mecanismos que, quando adotados, permitem que seu gasto com mão de obra diminua, sem comprometer a qualidade — por vezes até aumentando-a! Quer descobrir quais são as formas mais eficazes de reduzir os custos com mão de obra? Confira no nosso post de hoje!

Implante um software de gestão

Quando você implanta em sua empresa um software de gestão, você consegue, entre outras coisas, controlar seu fluxo de caixa, melhorar sua relação com a clientela e até monitorar as atividades de sua equipe com mais precisão. Esses programas são, nos dias de hoje, indispensáveis para quem quer um melhor planejamento para reduzir gastos.

Através de cálculos precisos, esses programas podem calcular quanto da mão de obra será necessária para as atividades de um determinado projeto, por exemplo. Também registra as operações de maneira simples de visualizar e apresenta um gráfico mostrando se as metas estão sendo ou não atingidas. Isso ajuda a controlar custos e a ponderar os resultados ao término do período.

Alguns também registram os contatos com os clientes, armazenando compras, contatos e outros dados — o que pode permitir que você não só compreenda melhor seu consumidor, mas que analise o desempenho de seus funcionários e o volume do trabalho daquela equipe.

As empresas de tecnologia oferecem softwares com múltiplos módulos, que vão de funções mais basais até algumas mais avançadas. Em um mundo que prima pela competitividade, ter um programa desses auxilia a aumentar a produtividade e a eficiência. É fazer mais com menos.

Permita que tarefas sejam feitas a partir de casa

Permitir que alguns funcionários façam tarefas de suas casas reduz despesas relacionadas ao escritório, como instalações, energia, transporte, entre outros. Isso já é muito comum em muitas empresas no exterior, pois usa a tecnologia e a internet a favor da praticidade. A empresa reduz gastos em diversos fatores e o funcionário se beneficia pela redução do tempo de deslocamento, horários flexíveis e outros benefícios. Dessa forma, ele trabalha mais satisfeito e produz melhor, melhorando ainda mais o custo-benefício dessa adoção.

Elimine viagens de negócios

É mais um benefício que a modernidade e as conferências através da internet podem trazer para seu negócio. Custos de viagens, como acomodações, voos e gastos gerais com transporte, compõem a maior parte dos gastos gerais de empreendimentos. Sua redução pode trazer economias substanciais. A proliferação das tecnologias de teleconferência e videoconferência criou uma alternativa viável para a participação em reuniões de negócios sem sair de onde se está. Mantenha seu staff junto a você e os tenha a disposição por mais tempo, gastando ainda menos.

Usando a tecnologia a seu favor, você ganha em produtividade e reduz gastos. O empreendedor inteligente tem que manter a mente aberta e estar sempre na vanguarda de atuação. Não jogue dinheiro fora: invista na modernidade!

Ainda tem alguma dúvida ou outra sugestão de como reduzir os custos com mão de obra? Deixe um comentário e participe da conversa!

 

6 dicas para desenvolver um aplicativo de sucesso

AppStore

Com o grande aumento do mercado de tecnologia cada vez mais empresas correm para lançar seus aplicativos, porém muitas vezes os apps acabam não alcançando o sucesso esperado devido a falhas de planejamento ou imprevistos durante o processo de produção.

As dicas a seguir são pontos a serem considerados para que seu aplicativo tenho mais chance de se tornar um grande sucesso.

Estudar o mercado

Antes de qualquer coisa é preciso entender o macroambiente em que o seu produto vai estar inserido quando for lançado. Estudar o mercado e identificar as oportunidades pode ser a diferença entre seu produto ser um sucesso ou um fracasso. Porém, assim que o diferencial do produto for elaborado é importante fazer o lançamento de uma versão preliminar o mais rápido possível. A Agivis adota essa postura de ação rápida e eficiente.

Lançar logo!

Se você teve uma boa ideia corra, meu amigo! Muitas vezes ideias iguais surgem em lugares diferentes ao mesmo tempo e sua agilidade pode decidir se você será o novo Facebook ou aquela empresa que faliu com uma ideia boa nas mãos.

Feedback é importante

A reação e o feedback dos seus clientes pode trazer muitas dicas para o desenvolvimento futuro das suas ferramentas. Preste atenção nas reações conscientes e nas inconscientes também. Às vezes o cliente tem algum problema com o produto mas não consegue expressar. Preste atenção em tudo.

Equipe transparente

Procure sempre trocar ideias com a equipe de desenvolvimento. Eles podem ver erros que você não percebeu ou dar ideias que não haviam passado pela sua cabeça. Além disso, é importante manter uma relação honesta entre vocês, verificando se os prazos estão em dia e se as ideias são possíveis dentro da tecnologia atual.

Invista na qualidade

Como já diz o ditado: “O barato sai caro”. Preze sempre pela qualidade em primeiro lugar. Ninguém gosta de criar expectativa sobre um produto e se frustrar com por causa da baixa qualidade.

Invista no design

Hoje em dia, devido a evolução do mercado, é quase inaceitável não ter um produto fácil de usar e muito bonito graficamente. Como dito na dica anterior: “o barato sai caro”. Não adiante investir numa boa ideia se ela decepcionar na usabilidade e no aspecto gráfico.

A Agivis não apenas apoia, mas coloca em prática cada uma dessas dicas com seus clientes. Entre em contato e vamos trabalhar juntos.

Dicas para inovar e crescer a empresa

Inovação e ideias para crescer

Um dos aspectos mais importantes para uma empresa se manter no mercado é a inovação. Claro, que existem empresas que conseguem se manter no mercado sem inovar apenas calcada na qualidade e tradição de seus produtos, mas se tratando da maioria essa não é uma estratégia muito segura no mercado atual que está sempre se renovando.

Confira alguns caminhos para sua empresa inovar e crescer:

Inovação em produtos

Um dos possíveis caminhos para inovação é uma modificação em um dos produtos da empresa visando aumento da qualidade ou até a criação de um novo produto ou nova linha de produtos.

Por exemplo, uma empresa que possui apenas um software ou plataforma web pode tirar grande proveito em lançar um aplicativo mobile e criar um diferencial no mercado. O i-Uroli é um ótimo exemplo desse tipo de inovação. Anteriormente eles possuíam apenas um software para desktop que necessitava de comunicação via cabos. Com a nova solução, foi criado pela Agivis um aplicativo para iPad para substituir o computador e os fios, criando um novo produto para coletas mais ágeis e um grande diferencial no mercado.

Inovação de processos

É a implementação de um método de produção ou de distribuição novo ou significativamente melhorado. Aqui um aplicativo ou novo software, por exemplo, pode ajudar muito a inovar tanto no contato com cliente quanto em algum processo interno da empresa.

Um bom exemplo é um dos produtos da Agivis, o FormApp. Ele pode ser usado de muitas formas para facilitar a logística, o cadastramento e muitos outros aspectos da empresa.

Inovação de marketing

É a implementação de um novo método de marketing com mudanças significativas na concepção do produto ou em sua embalagem, no posicionamento do produto, em sua promoção ou na fixação de preços.

Esse tipo de inovação pode ter a intenção de levar a empresa a um novo posicionamento de mercado ou uma nova área de atuação, ou abrir um novo canal de vendas, por exemplo. O app Pico faz isso de forma muito interessante para que restaurantes tenham um novo canal de marketing para suas promoções através de notificações direcionadas (push notifications).

Independente da forma de inovar, é muito importante que a empresa tenha isso como um objetivo constante. Com um mercado cada vez mais competitivo, a tecnologia pode ser utilizada para inovar de diferentes formas e gerar novos diferenciais.

E você, como está inovando sua empresa? Compartilhe sua experiência ou opinião sobre a importância da inovação.

Desenvolvimento Ágil de Software

Software infelizmente é sinônimo de problemas para muitas pessoas, sejam elas empresas, clientes ou usuários. Boa parte disso se deve as inúmeras dificuldades enfrentadas durante o desenvolvimento: baixa qualidade, requisitos não atendidos, prazos longos,  falta de feedback, orçamentos fora do estimado, dentre tantas outras.

Origem: A crise do software

O termo “Crise do software” foi utilizado na década de 70 para expressar as dificuldades frente a enorme demanda por software, aumento da complexidade e inexistência de técnicas adequadas para o desenvolvimento. Na tentativa de resolver a questão, foram elaboradas metodologias e técnicas a partir de outras áreas, como a construção civil e nas produções em séries. Como resultado, surgiu a Engenharia de Software.

Com a Engenharia de Software foram definidos diversos modelos para a especificação, implementação e manutenção do software. Entretanto, ao longo do tempo, tudo isso se mostrou incapaz de atender aos reais problemas, devido aos ”pesados” modelos impostos, caracterizados por um processo rígido, burocráticos e sem feedback rápido. Em grande parte dos projetos, a dor de cabeça para as empresas e clientes ainda continua sem solução.

Qual é a solução?

Em meados da década de 90 começou uma reação contra os modelos rígidos. Como resposta, foram elaboradas idéias e modelos visando a agilidade. Em 2001, pessoas da comunidade se reuniram em Snowbird e adotaram o nome métodos ágeis (agile) e publicaram o Manifesto Ágil.

Manifesto Ágil

É um conjunto de metodologias e técnicas (Scrum, XP, BDD, entre outras) de desenvolvimento de software na qual visam a agilidade do desenvolvimento do software e focadas nas pessoas. O objetivo é maximizar ambientes ágeis, garantindo o trabalho em equipes o tempo todo.

      Valores

  • Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano

      Doze Princípios

  1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor.
  2. Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.
  3. Entregar software funcionando com freqüencia, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos.
  4. Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diáriamente, durante todo o curso do projeto.
  5. Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho.
  6. O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara.
  7. Software funcional é a medida primária de progresso.
  8. Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos constantes.
  9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade.
  10. Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito.
  11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.
  12. Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo.

E na Agivis?

Cientes das vantagens das metodologias ágeis, aplicamos esses conceitos em todos nossos projetos. Somos um time engajado e motivado para atender de forma clara, transparente e aberta as necessidades de nossos clientes. Para saber melhor sobre o nosso processo de desenvolvimento, deixe sua dúvida aqui no blog ou entre em contato.

Gostou do conteúdo do post? Deixe seu comentário e nos siga no Twitter.