4 métricas para a criação de produtos de tecnologia

back view of a business man  looking at some charts , graphs and calculations on a blackboardNão é surpresa que toda organização se preocupe com o bom desempenho dos produtos e serviços que oferece, e também com a aceitação deles pelo público-alvo e com a capacidade de gerar inovações propulsoras de seu crescimento e sucesso em meio à alta competitividade.

Porém, no caso de muitas empresas de tecnologia — um campo em que há uma verdadeira “corrida” por novidades e atualizações constantes em softwares e sistemas — e de algumas startups — geralmente recém-criadas, ainda em fase de desenvolvimento e prospecção — essa preocupação pode se tornar ainda maior devido ao fato de geralmente explorarem nichos de mercado ainda novos ou desconhecidos. Por isso é tão importante gerar métricas para criação de produtos. No post de hoje, você vai conhecer algumas métricas importantes para este negócio. Acompanhe:

O que são as métricas

O crescimento acelerado destes modelos de negócios muitas vezes depende também de seu potencial em atrair investidores, os quais nem sempre estão totalmente esclarecidos sobre assuntos como este. Além disso, exige um excelente planejamento voltado à gestão de novas ideias que, assim como em qualquer outro tipo de empresa, precisarão ser testadas e demandarão esforços para encontrar formas de mensurar resultados e transformar estes dados em respostas que possam indicar potenciais soluções.

É aí que surgem as métricas que auxiliam na criação de produtos de tecnologia. Tais conceitos podem ser muito úteis, não somente para a empresa que deseja crescer, mas também para o acompanhamento daquela que já vem crescendo aceleradamente. Mas se você ainda não conhece nada sobre elas, que tal começar agora?

Porque utilizar métricas na criação de produtos de tecnologia

Simples: porque você precisa saber o quão certo suas ideias têm dado até o momento e entender mais sobre a performance de seu produto no meio tecnológico, bem como o nível de satisfação de quem está envolvido com ele. São estes itens, basicamente, que irão indicar suas chances de continuar sobrevivendo no mercado de tecnologia emergente e também de crescer, exponencialmente, dentro dele.

Principais exemplos de métricas e como utilizá-las

Para simplificar, vamos citar algumas das que mais têm sido aplicadas nas empresas de tecnologia e startups ultimamente:

Custo de aquisição de clientes (CAC)

Se refere, resumidamente, ao gasto que a empresa nova tem para transformar um lead (contato geralmente obtido por meio de ações de captação em ambiente digital) em um cliente real. Essa métrica mostra, na prática, o quanto a empresa “tem que gastar” até que consiga fazer com que seja o cliente, então, que comece a gastar com ela.

Ela pode ser útil para que a organização saiba o quanto precisa investir em um produto — desde seu design até suas funcionalidades e divulgação — para que ele efetivamente atraia a atenção do público consumidor e desperte interesse, não só em adquiri-lo, mas também em que continue sendo usado.

Índice de cancelamento (Churn Rate)

Se o CAC é uma métrica que se dedica mais a mensurar quantos clientes estão entrando para a base da empresa, o Churn Rate, em contrapartida, procura medir quantos estão saindo dela. É uma métrica essencial para que se possa equilibrar a equação e sempre procurar entender a existência de problemas nos quais se possa intervir para que esse índice seja sempre o menor possível. Ajuda, também, a verificar quando é necessário modificar algum produto ou até mesmo criar um novo.

Life-time-value (LTV)

É uma métrica que busca estabelecer uma “projeção” de quanto um cliente gerará para a empresa enquanto permanecer comprando dela. É como se, em outras palavras, ela “medisse o tempo de vida” de alguém como seu cliente. Serve, inclusive, para que a empresa possa definir melhor como investir em cada tipo de cliente, tendo em vista qual é o verdadeiro retorno que se obtém com cada um deles.

Além disto, ajuda a identificar tendências de consumo para que os clientes encontrem nela, sempre o que precisam e não se sintam impelidos a comprar da concorrência, fazendo com que se tornem fiéis a você por muito mais tempo.

Métricas de qualidade para produtos de software

Por fim, outro sistema de métricas dentre os mais conhecidos é o que se refere a mensurar o nível de qualidade de determinados produtos de software, que podem ser aplicativos, sistemas, entre outros. Funciona para avaliar, principalmente, a opinião dos usuários com relação à interface do produto, facilidade de uso, atendimento às expectativas, necessidades, modernidade e grau de otimização que o recurso traz às tarefas que eles precisam executar. Portanto, se você deseja criar um produto deste tipo para revender, por exemplo, não pode deixar essa avaliação.

Agora que você conhece um pouco mais sobre as métricas, já pode perceber que elas são fundamentais e podem fazer toda a diferença no seu negócio, não é mesmo? Que começar a implementá-las agora mesmo? Se você ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário!

 

Por que usar um software desenvolvido especificamente para a minha empresa?

Desenvolvimento de sistema específico para a empresa

As características do mercado, o perfil dos concorrentes, as especificidades do produto: tudo isso é baseado em uma realidade que só a sua empresa possui. Então, por que logo o software que você usa na organização deve ser importado, sendo que foi pensado para outra realidade?

Esse é um grande erro que os empresários ainda cometem, achando que estão levando grande vantagem. Conseguem um bom preço no software, mas sem customização e com inúmeras carências que só um software desenvolvido especificamente para a sua empresa poderia suprir. Veja alguns motivos para adotar um projeto de desenvolvimento de software sob medida para o seu negócio:

Alta customização

Quando a empresa desenvolve seu próprio software, consegue dimensionar as suas prioridades e questões que deverão ser desenvolvidas em um segundo momento. Assim, é possível concentrar esforços no que é urgente, sem desconsiderar aquilo que será importante no futuro. Com um software próprio, consegue-se eliminar as configurações conhecidas como “perfumaria” nos programas-padrão, para investir no que é realmente usado e importante. A possibilidade de customização é muito maior, pois os sistemas são pensados considerando os problemas da empresa, e não em soluções generalistas.

Acesso à informação

Uma empresa contratada para desenvolver um software próprio consegue despender tempo e recursos para entender as necessidades do seu negócio. Ela tem tempo de conversar com gestores, conhecer os processos, entender a ansiedade da diretoria e desenvolver um programa que realmente será útil para aquela realidade.

Essa facilidade dificilmente será encontrada com a contratação de profissionais freelancers, que geralmente têm menos tempo e estrutura para se debruçarem sobre os problemas dos clientes. A segurança e as contrapartidas que uma empresa própria oferece são outras vantagens que contribuem para o sucesso e credibilidade do projeto. Ao final do desenvolvimento você poderá ter a certeza que o seu sistema só existe na sua empresa.

Envolvimento da equipe

Quando uma empresa decide desenvolver seu próprio software, todos os gerentes e chefes de equipe se mobilizam para identificar as melhores formas de deixar a sua área mais eficaz e rentável. Afinal, todos querem que o sistema consiga atender e ajudar nas necessidades de sua área, contribuindo para a geração de melhores resultados. É um momento de envolver as equipes e de esperar melhores soluções para o negócio como um todo.

Economia de recursos

Softwares externos, que são introduzidos na empresa como soluções paliativas, acabam gerando gastos muito maiores com adaptações no sistema ou até mesmo a aquisição de outros softwares complementares. Ao final, o que a empresa consegue formar é um emaranhado de sistemas desarticulados, que não têm “a cara” da empresa e não oferecem nenhum padrão para uso ou garantem a qualidade do atendimento. Aquilo que foi feito para economizar, no final das contas gera mais gastos e dor de cabeça.

Quando a instituição contrata uma empresa que vai assumir o desenvolvimento de seu software, ela está investindo em um negócio que vai garantir vantagens de longo prazo, com muito mais confiabilidade. Além do sistema, a empresa se compromete a treinar as equipes para fazer melhor uso do software, garante assistência técnica com profissionais capacitados e a segurança no cumprimento de contrato no que envolve prazos para execução do projeto e pagamentos.

E então, entendeu por que você deve investir em um software específico para a sua empresa? Se você ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão escreva para nós através dos comentários!

O que considerar na hora de escolher um sistema

aplicativo como sistema para empresa

Quando a Apple lançou seu sistema IOS, enfrentamos uma verdadeira quebra de paradigmas no mundo da informática e da tecnologia da informação. Se antes os usuários estavam acostumados com sistemas contra intuitivos, em que as máquinas “controlavam” as pessoas, hoje todas as empresas desenvolveram interfaces extremamente acessíveis, possibilitando o uso da tecnologia por qualquer pessoa. Dentro das organizações, o cenário também mudou.

A automatização é uma característica das empresas modernas, principalmente no caso das startups. No entanto, muitos empreendedores ainda cometem erros na hora de escolher ou criar seus sistemas internos. Na maioria dos casos, esses sistemas acabam criando ainda mais obstáculos em vez de dinamizar processos, pois não são desenvolvidos de uma maneira acessível e intuitiva, podendo ser usados e compreendidos por todos os colaboradores da organização.

Nesse post, pretendemos estabelecer os principais pontos que devem ser observados antes mesmo de implementar um processo internamente. Confira logo a seguir!

Identificação de necessidades

Antes de optar por qualquer sistema, é preciso fazer uma avaliação interna e planejar a implementação. É fundamental saber exatamente quais são os processos que carecem de automatização, e todos os outros que podem ser dinamizados através do sistema. Esse passo é importante para fazer a melhor escolha possível, tanto do ponto de vista financeiro (evitando, por exemplo, uma estrutura mais ampla que a necessária), quanto do operacional (verificando de que forma cada departamento utilizará o sistema).

Interface simples

Conforme vimos, esse deve ser um dos principais aspectos no estabelecimento de um sistema interno. Quando um sistema possui uma interface simples, não estamos apenas falando de design, mas também de acessibilidade. Esse aspecto é fundamental para disseminar qualquer tecnologia entre os colaboradores da sua empresa. Por isso, além de verificar se o sistema consegue atender as suas necessidades, faça um “test-drive” e verifique se ele é fácil de usar.

Verificação de compatibilidade

O sistema precisa ser integrado aos tablets e smartphones da empresa, ou será usado apenas nos computadores? Pode ser rodado em qualquer hardware e sistema operacional, ou exige uma estrutura mais pesada? Todos esses pontos técnicos devem ser avaliados, pois a empresa pode acabar implementando um sistema incompatível com a sua estrutura interna ou que venha a ter problemas no futuro. Procure estabelecer claramente as suas necessidades e especificações para o fornecedor, evitando quaisquer contratempos.

Disponibilização na nuvem

Por fim, outro ponto bastante importante é a disponibilização do sistema na nuvem para reduzir a necessidade interna com hardwares e, ao mesmo tempo, possibilitar o acesso às informações em tempo real através de qualquer ambiente. Essa é uma forma de tornar o sistema ainda mais acessível, permitindo também maior dinamismo e versatilidade para o seu uso. Vale lembrar, ainda, que é importante considerar a distribuição desse sistema na App Store, no Google Play ou na Windows Store, para que todos os interessados possam baixá-lo a qualquer momento.

E você, que pontos considera importante para a concepção de um sistema para empresas? Algum que não tenha sido citado no nosso post? Conte pra nós através dos comentários!

 

5 dicas para melhorar o sistema da sua empresa

Businessman shows gear to success on white background

Quando o sistema de uma empresa não é flexível para realizar alterações, falamos que ele é “engessado”. Ele deve possibilitar ao administrador todas as funcionalidades esperadas, além da troca de informações entre diversos setores. Independentemente do tamanho da empresa, o gestor deverá investir em um bom sistema para ganhar produtividade. Imagine como gerar produtividade com um sistema lento? É impossível, não é mesmo? É preciso otimizar esse sistema, ainda que seja preciso redefini-lo.

O ideal é ter uma estratégia que consiga gerenciar tudo de uma só vez e que ainda demonstre os indicadores de desempenho. Se você não sabe como melhorar o seu sistema, veja as nossas dicas e encontre a melhor solução para o seu modelo de negócios. Confira o nosso post!

As necessidades devem ser atendidas

De nada adianta manter um sistema ativo se os colaboradores estão realizando as suas tarefas, quase em sua totalidade, de maneira manual. Um sistema serve para atender ao usuário, não o usuário para atender ao sistema. Se não está atendendo, então ele já não serve. Verifique a necessidade de trocá-lo por um mais dinâmico. Levante a sua base de clientes, de fornecedores, de colaboradores e certifique-se sobre demandas que precisam ser prontamente atendidas. Feito isto, é hora de verificar um item importante: o custo.

Custo de adesão e de reformulação

Qual o custo para se realizar a implantação de um novo sistema ou reformulação do atual? Primeiro, é necessário verificar se é possível reformular o sistema existente, porque nem sempre é possível aproveitar os dados já implantados e, às vezes o software utilizado também é diferente. Caso seja necessário implantar um novo, ele deve atender a todos os pré-requisitos listados anteriormente, visando obter um bom custo-benefício.

Lembre-se de que sistemas sofisticados têm custos altíssimos e nem sempre podem atender às suas expectativas. Tente pensar em longo prazo, em possíveis mudanças nos processos da empresa que poderiam afetar o preceito implantado, pois qualquer atualização do sistema envolve novos custos.

Processo de implantação

A atualização de um sistema engessado requer um planejamento prévio para que seja concluída com sucesso. Chegando ao final do projeto e evitando desconfortos ao longo do caminho, faça um roteiro e visualize claramente cada etapa finalizada.

Usuário chave

Capacite pelo menos um colaborador para que seja o “usuário-chave” do sistema. É importante que os outros funcionários não possuam dúvidas ao utilizar todas as funcionalidades. O usuário-chave deve estar à disposição para orientar os demais nos casos de problemas complexos.

Suporte ao sistema contratado

Procure uma empresa que forneça suporte local. Algumas delas prestam este tipo de serviço somente por telefone, o que não é totalmente viável caso o problema detectado seja complexo o suficiente e um relato por telefone não resolva o problema.

Quando o sistema está alinhado, a produtividade da sua empresa só tende a crescer. Agora é a sua vez, aprimore o seu sistema ou implemente um novo e perceba as diferenças na produção e otimização do seu negócio! Se você ainda tem alguma dúvida, conte pra nós através dos comentários!

Como controlar os processos da minha empresa?

business man touch on gear as computer solution concept

No atual mundo globalizado e competitivo, os processos obtidos e escolhidos por uma empresa devem levar ao eficaz controle da organização. É necessário que os processos se desenvolvam. É por essa e outras razões que um dos grandes desafios dos gestores é cuidar para que a empresa implemente um processo condizente com o seu planejamento futuro. Essa é a chave do sucesso, seja a empresa de grande ou pequeno porte, afinal sem planejamento, organização e um bom controle de processos não consegue seguir adiante.

Quem nunca viu uma determinada atividade sendo executada por dias e, após a implantação de um processo tecnológico, a mesma foi executada em poucos minutos? O controle de processos é essencial para otimizar os resultados de uma organização. Você sabe como implementar os processos maneira efetiva? Se não, temos informações importantes a cerca desse assunto. Então acompanhe o nosso artigo!

O que são os processos?

Os processos são o fluxo de processamento de cada etapa envolvida nas operações desenvolvidas por uma empresa visando à execução de sua atividade de negócio praticada. Os procedimentos e o processo têm de estar representando ações que denotem no controle, ou seja, o controle representa um objetivo abrangente a toda a empresa e deve ser exercido de forma a garantir rentabilidade em suas operações. Isto promove o negócio com efetividade e eficiência enquanto se esforça para obter inovação, flexibilidade e integração com a tecnologia.

Como controlar processos?

Para controlar e gerenciar processos é necessário alterar a forma de pensar, abandonar a visão da estrutura antiga e concentrar em novas ações. Pare para pensar e desenhar o que não vai bem dentro da sua organização. Qual processo está lento? O que precisa ser alterado? Você já pesquisou se existe uma tecnologia que pode realizar esse processo de maneira mais ágil e eficiente? Se a resposta para todas essas foi negativa, os processos da sua empresa realmente precisam ser revistos. Entenda que processos não padronizados podem gerar diversos danos à empresa a curto e longo prazo.

Por que substituir processos manuais por uma tecnologia informatizada?

A substituição de processos manuais por uma tecnologia avançada, possibilita a alta performance, desempenho, apresentação de uma realidade mais analítica, apresentação das finanças de maneira clara e objetiva, foco da equipe envolvida em outros pontos que necessitam ser melhorados dentro da organização. Substituir os processos manuais significa ampliar as possibilidades de crescimento, ter mais tempo para pensar no futuro da empresa.

Pode-se afirmar, portanto, que o gerenciamento de processos consiste em estabelecer, manter e melhorar padrões já pré-estabelecidos dentro de uma organização.

Dicas sobre o controle efetivo de processos na empresa

Para que você possa monitorar e garantir a qualidade de produtos e serviços é necessário definir o que se quer controlar e medir com relação aos processos existentes. Utilize essas perguntas para iniciar o controle de processos da sua empresa:

  • Que item devo controlar?

  • Quem serão os responsáveis por esse controle?

  • Em qual momento ou situação se deve controlar?

  • Porque controlar?

Invista no controle de negócios e trace metas e processos coerentes com o seu objetivo de gestão. Você já utilizava essas dicas? Vai passar a usá-las agora? Conte pra nós através dos comentários!

Como agilizar a tomada de decisões da minha empresa?

Thoughtful businessman with hand on chin against arrows in the sky in blue

Muitas vezes uma empresa não toma decisões, não pelo fato de não saber o que quer, mas sim porque não desenvolveu o seu próprio processo decisório. Estamos no século de um mercado que exige uma resposta mais dinâmica ainda: não basta apenas ser ágil no reconhecimento da necessidade de mudança ou na identificação da oportunidade, é preciso ser capaz, de colocar as respostas em prática rapidamente.

Os sobreviventes olham para o futuro e determinam o que precisam melhorar. Por isso é importante que você entenda a seriedade de agilizar a tomada de decisões dentro da sua empresa. Para que o seu negócio saia à frente nesta corrida, separamos algumas informações relevantes a respeito do processo decisório. Confira!

O processo decisório

O processo decisório visa escolher o caminho mais adequado que uma empresa possa tomar em uma determinada circunstância, abrangendo diversas abordagens dependendo, claro, das organizações. É necessário elaborar propósitos.

Porém, sabemos muito bem que tomar decisões não é uma tarefa fácil e é preciso analisar vários aspectos. Além disso, vale lembrar que não existe uma fórmula pronta para resolução de todos os casos. Mas é possível realizar algumas práticas que agilizam a tomada de decisões:

O poder da comunicação interna na tomada de decisão

Ter clareza nas informações da empresa é essencial para o desenvolvimento das atividades, pois só assim será possível atingir um resultado satisfatório. A empresa deve procurar promover melhoria principalmente no que se refere à satisfação. Se a comunicação interna é clara e se os colaboradores estão satisfeitos, a tomada de decisões pode ser mais objetiva.

O que é necessário para tomar uma boa decisão

  • Resolução imediata do conflito;

  • Aprendizado organizacional;

  • Evitar incertezas;

  • Planos e regras de contingência;

  • Divisão clara no desempenho de tarefas.

Pense que a decisão está totalmente ligada à ação. O processo decisório pode ser visto como um conjunto de ações e fatores que têm início a partir do estímulo de uma ação, e que se finaliza com um compromisso especifico atingido. Está aí, uma boa oportunidade para estimular o seu colaborador a pensar em conjunto. Preciosas ideias podem ser geradas neste momento.

Lembre-se que a agilidade na tomada de decisões possibilita a reversão em situações críticas no mercado, pois a rapidez na resposta pode, muitas vezes, significar ganhar ou perder um cliente.

Finalidade da tomada de decisões

Uma das principais finalidades de uma decisão ágil é o planejamento e direcionamento das suas ideias. Organize-as, amplie-as e também direcione-as. Se o objetivo é proporcionar valor à sua empresa, a resposta exige tanto decisão como execução.

Após seguir as nossas dicas a sua empresa estará mais confiante, com o foco crescente em oportunidades a partir de uma tomada de decisão sábia e objetiva. Identifique a causa do problema, resolva-o completamente e analise a solução a curto e longo prazo. O ideal é descobrir a causa do problema e “matar o mal pela raiz”.

Como funciona o processo decisório na sua empresa? Você está conseguindo resolver os problemas mais sérios? Conte pra gente através dos comentários!

 

7 dicas para você se destacar no mercado

Successfull businessman and financial graph

Você foi um empreendedor persistente e bem planejado, conseguiu tirar a sua ideia de negócio do papel e transformá-la em uma empresa concreta. Só que, agora que a companhia está em pleno funcionamento no mercado, você passou a enfrentar um assombroso oceano de concorrência, onde você precisa descobrir maneiras de colocar e manter a sua empresa em destaque.

Quer descobrir algumas dicas para alcançar este objetivo e não deixar o seu negócio naufragar? Confira abaixo 7 dicas!

Seja inovador

Uma das características mais importantes que um empreendedor deve ter está relacionada à sua capacidade de inovar. Pesquise, entre os produtos e serviços que existem no mercado e se aproximam dos seus, onde eles se repetem e como poderiam ser melhores! Aplique as suas conclusões nos seus próprios produtos, dentro das suas possibilidades financeiras, e surpreenda o seu público.

Ofereça uma solução para o cliente

Mesmo com um projeto novo e diferente, seu produto precisa atender a uma demanda que existe no mercado de valor, potencialidade e praticidade. Ser uma solução para as pessoas vai ampliar a força de comercialização de sua mercadoria ou serviço!

Valorize seus clientes já fidelizados

Faça promoções especiais, dê cupons de desconto, faça campanhas exclusivas e outros tipos de ações de marketing e relacionamento com aquelas pessoas que já costumam comprar com a sua empresa. Esses clientes, além de serem um ótimo termômetro para avaliar o sucesso de suas atuações no mercado, são excelentes canais de divulgação para amigos e parentes.

Esteja nas redes sociais

Os gestores da maioria das empresas já entenderam o poder da internet, mas restringem a sua atuação aos portais ou websites simples da marca. Aproveite o potencial das redes sociais para estabelecer relacionamentos mais duradouros e diferenciados com seus clientes, saber o que eles estão falando de seus produtos e monitorar todas as publicações que tenham a ver com o seu negócio! Com tantos dados em mãos, você terá muito mais material para elaborar e pôr em prática melhores estratégias de mercado.

Busque a qualidade

Mesmo que a coleção de produtos e serviços de sua empresa já tenha alcançado um elevado nível de satisfação com a clientela, nunca deixe de investir em qualidade, procurando agregar ainda mais valor à sua marca. Melhore as suas operações, os seus produtos e o seu atendimento.

Divulgue referências importantes

Se a sua empresa já trabalhou com organizações de grande renome ou que tenham uma alta relevância social, não deixe de divulgar tais fatos em seu website ou em outros canais apropriados. Novos clientes terão muito mais confiança na hora de contratar uma empresa que outros clientes de respeito também contrataram!

Aposte na tecnologia

A tecnologia gera importantes mudanças socioeconômicas e estamos vivendo um período de comunicação rápida e de intensa troca de informações. Sua empresa não pode ficar para trás neste contexto! Você pode conquistar a otimização de operações, implicando em rentabilidade para a sua corporação se implementar iniciativas tecnológicas diversas, como por exemplo o arquivamento de documentos em nuvem, aplicativos para dispositivos móveis, entre outros usos possíveis das novas técnicas e aparatos tecnológicos.

Sua empresa está precisando de um empurrãozinho no mercado para se destacar, fazer mais contratos, conquistar novos clientes e aumentar os lucros? Coloque essas recomendações em prática e seu negócio ficará em evidência! Caso tenha restado alguma dúvida, deixe um comentário.

Por que devo investir em um software na nuvem?

Cloud computing concept: Cloud Network on computer keyboard background

Passamos da época em que os softwares eram vendidos em caixas junto a uma licença única, as atualizações eram complicadas e era necessário adquirir a nova versão quando a anterior ficava ultrapassada. A nova tendência do mundo virtual são os softwares na nuvem. Eles estão modificando não apenas a forma como as pessoas acessam essas aplicações, mas até o modelo de negócio existente no setor.

A onda do cloud computing está revolucionando o mundo dos negócios e oferece diversas vantagens em relação ao mercado tradicional. Quer descobrir por que investir em um software em nuvem? Descubra aqui, lendo o nosso artigo!

Você ganha em agilidade

Uma das maiores vantagens que os softwares na nuvem podem trazer às empresas é o aumento da agilidade e, conseqüentemente, da produtividade. Os processos ganham em velocidade, uma vez que estão integrados ao sistema na nuvem. Todos passam a ter informações relevantes em tempo real e a execução de tarefas se torna mais fluida. A comunicação interna também fica muito mais fácil e a dinâmica do negócio fica muito maior. Isso tudo sem precisar instalar programas nos computadores da firma ou nos dispositivos móveis dos funcionários. Praticidade tangível e impressionante.

Reduz os custos da sua empresa

Mais uma vantagem que a computação na nuvem e os softwares enquanto serviços trazem é a maneira de licenciamento e distribuição. Antigamente, se você precisasse de um programa desses, precisaria adquirir e fazer a instalação em cada uma das máquinas da sua empresa. Nessa nova maneira, você paga apenas pelo serviço utilizado, de acordo com a demanda ou planos de assinatura. Dessa forma, você pode ampliar o acordo na proporção que o seu negócio crescer, sem precisar fazer novas instalações e configurações.

A mobilidade também é muito maior

Como o seu programa estará distribuído na nuvem, você poderá acessar de qualquer computador e lugar com conexão à internet. E isso vale também para os dispositivos móveis, como tablets e celulares. Isso permite que você acompanhe tudo em tempo real, estando você em casa, no táxi ou até em outro país. Também faz com que o uso de pen drives e arquivos nas reuniões e encontros de negócios seja desnecessário, pois você pode conectar o seu tablet no software na nuvem e fazer a apresentação dos seus produtos, serviços ou propostas.

Mais segurança

Outra vantagem em ter o seu software na nuvem é que você ganha em segurança. Os dados e informações, bem como as atualizações, são salvos e feitos de forma automática, dispensando você de qualquer tarefa mais complexa. O mesmo acontece com os backups periódicos, que serão feitos de acordo com o cronograma pré-estabelecido. Também dá para controlar o acesso dos funcionários da sua empresa, controlando com mais eficiência as informações estratégicas.

Por todas essas razões, softwares na nuvem são uma forte tendência no campo da tecnologia. A sua empresa já usufrui dessas vantagens? Se não, invista o quanto antes: os benefícios são enormes. Se você já faz uso, nos conte quais foram os impactos no seu negócio!

 

5 dicas para aumentar a produtividade da minha equipe

Contemporary business

O grande valor de uma empresa consiste nas pessoas que integram o seu corpo de funcionários. São as suas ações que levarão ao fracasso ou ao sucesso de todo e qualquer empreendimento. Porém, é comum que, com o passar do tempo, as equipes se acomodem e percam em produtividade, comprometendo os resultados e trazendo sérios prejuízos. Mas se isso é tão comum, como driblar esse problema? A verdade é que tomando algumas atitudes simples, você pode fazer com que o seu time renda muito mais. Quer saber que dicas são essas? Descubra lendo a seguir:

Estabeleça metas

Seja ágil na sua definição de metas. Você deve fornecer aos membros da sua equipe informações concretas sobre as suas expectativas e necessidades em cada projeto, tarefa ou atividade. Cada um na equipe precisa saber qual o alvo a ser atingido para que se tenha sucesso ao final da jornada. É preciso ter ciência de absolutamente tudo o que for possível. Quando sabem ao certo o que devem fazer, eles trabalham mais motivados e se sentem parte do processo, estando mais envolvidos com os objetivos da empresa.

Avalie se cada um está adequado a sua demanda

Não adianta ter um excelente jogador se você o coloca fora de posição. O mesmo vale no mundo empresarial. As competências necessárias para cada função devem ser plenamente atendidas. Identifique as habilidades de cada um e cruze essas informações com cada cargo. Só então decida quem vai para onde.

Realize reuniões regulares

Essas reuniões são uma boa chance de compartilhar a visão geral da empresa ou departamento com o seu time, fazendo com que todos permaneçam remando no mesmo sentido. Expor o andamento sempre é bom para gerar uma melhor compreensão dos erros e acertos e também incentiva todos a trabalharem em conjunto pela meta geral. Só cuidado para não cair na armadilha das reuniões em excesso: uma vez por semana já é mais que suficiente.

Forneça feedbacks

Dar um retorno ao membro da equipe também é fundamental para mantê-lo motivado. Reconheça imediatamente os seus acertos e realizações, bem como aborde questões que precisam ser melhoradas o quanto antes. Feedbacks em tempo real deixam as pessoas mais seguras do caminho que estão seguindo, gerando confiança em momentos de decisão ou dúvida.

Ofereça chances de desenvolvimento

Esse é talvez um dos fatores mais essenciais para manter um trabalhador determinado. Dar a oportunidade de crescimento e de assumir novos cargos e desafios mostra para a equipe que não devem ficar estagnados. Também é um sinal de que a empresa e os seus líderes confiam no time e farão o possível para que todos sejam bem sucedidos. Um plano de carreira traçado é sempre bem-vindo e traz segurança e motivação para os funcionários.

Seguindo esses conceitos, você manterá o seu time entusiasmado e terá melhores resultados para o seu negócio. Se você conseguiu montar uma equipe citada, será racional se souber cuidar dela e extrair o seu melhor. Siga essas dicas e colha os frutos: a sua empresa só tem a ganhar!

E você, o que faz para aumentar a produtividade da sua equipe? Compartilhe com a gente!

Como otimizar a gestão da minha equipe?

Businessmen standing in front of an earth map

O sucesso de toda e qualquer empresa depende diretamente de uma boa gestão da equipe. Sendo assim, é preciso gerenciar pessoas e projetos com sabedoria, de modo que o engajamento aumente, a produtividade seja otimizada e os bons resultados sejam convertidos em um maior faturamento para a empresa. Pensando nisso, listamos algumas dicas incríveis para melhorar o gerenciamento do seu time. Ficou curioso? Então continue lendo o nosso artigo!

Planeje, planeje, planeje

O ponto de partida para fazer uma gestão eficiente da sua equipe é planejar. Isso porque as ações em um ambiente corporativo, independentemente do porte da empresa, precisam ser estrategicamente pensadas, a fim de minimizar os riscos de erro e fracasso. Aprenda a colocar os seus planos no papel, levantar objetivos de curto, médio e  longo prazo, estudar a realidade da empresa e levantar os recursos para implementar os projetos. Somente depois de fazer isso, você terá subsídios suficientes para orientar a equipe e gerenciá-la da melhor maneira possível.

Crie uma cultura de colaboração

Uma forte tendência nas empresas modernas e novos modelos de gestão é justamente o trabalho colaborativo. Incentive os funcionários a trabalharem em conjunto e pensarem no coletivo. Isso ajuda a melhorar o clima organizacional, estreita o relacionamento entre colegas e ainda por cima, promove um trabalho sinérgico, em que todos os membros da equipe atuam em prol de um objetivo comum. Quando isso acontece, não existem divergências hierárquicas. Nesse tipo de gestão, líderes e liderados trabalham coletivamente.

Aposte em uma boa comunicação

A comunicação é a chave dos processos de gestão. Em uma empresa, é fundamental que a comunicação seja clara e objetiva, no intuito de minimizar mal-entendidos. Além disso, o ideal é apostar em uma comunicação empática, em que todos possam dar sugestões e opiniões. Nesse sentido, vale a pena estimular o compartilhamento de ideias, dar e receber feedbacks, promover reuniões e manter uma postura aberta e receptiva para escutar os seus funcionários.

Saiba delegar tarefas

Um dos segredos de sucesso das médias e grandes empresas é delegar as tarefas certas para as pessoas certas. Isso requer um profundo conhecimento dos membros da equipe, incluindo as potencialidades e limitações de cada funcionário. É indispensável que o gestor mapeie as personalidades e talentos constantemente, pois isso ajuda na correta designação de atribuições. Vale destacar que uma tarefa mal delegada pode afetar a produtividade do grupo e impactar negativamente nos resultados do negócio.

Defina metas realistas

Definir metas ajuda a manter os profissionais motivados e focados, até porque as metas funcionam como norteadoras das ações corporativas. Cumpre ressaltar que não basta criar metas mirabolantes e inatingíveis, pois isso gera frustrações. O ideal é estabelecer metas bem realistas e estimulantes, com prazos factíveis.

Elogie os seus colaboradores

O bom gestor sabe monitorar o trabalho, sabe cobrar resultados, mas também sabe elogiar os colaboradores quando a performance é boa. As palavras de afirmação fazem bem para a motivação do profissional e podem funcionar como combustível para que ele trabalhe mais e melhor. Agradecer pelo bom trabalho, oferecer premiações para o grupo e bônus por produtividade também são boas pedidas.

Use a tecnologia a seu favor

As rotinas empresariais estão cada vez mais dinâmicas e intensas. Para economizar tempo e produzir melhor, um excelente caminho é usar ferramentas tecnológicas, como aplicativos móveis, plataformas de comunicação, gerenciadores de tarefas, sistemas financeiros sob medida para o negócio, armazenadores online, chats e videoconferências. Isso ajuda a gerenciar equipes internas e externas com rapidez e eficiência. Pode apostar!

E aí, você gostou das nossas dicas? Como você gerencia o seu time de colaboradores? Compartilhe as suas opiniões e experiências conosco através dos comentários. Até a próxima e continue ligado no nosso blog.