4 métricas para a criação de produtos de tecnologia

back view of a business man  looking at some charts , graphs and calculations on a blackboardNão é surpresa que toda organização se preocupe com o bom desempenho dos produtos e serviços que oferece, e também com a aceitação deles pelo público-alvo e com a capacidade de gerar inovações propulsoras de seu crescimento e sucesso em meio à alta competitividade.

Porém, no caso de muitas empresas de tecnologia — um campo em que há uma verdadeira “corrida” por novidades e atualizações constantes em softwares e sistemas — e de algumas startups — geralmente recém-criadas, ainda em fase de desenvolvimento e prospecção — essa preocupação pode se tornar ainda maior devido ao fato de geralmente explorarem nichos de mercado ainda novos ou desconhecidos. Por isso é tão importante gerar métricas para criação de produtos. No post de hoje, você vai conhecer algumas métricas importantes para este negócio. Acompanhe:

O que são as métricas

O crescimento acelerado destes modelos de negócios muitas vezes depende também de seu potencial em atrair investidores, os quais nem sempre estão totalmente esclarecidos sobre assuntos como este. Além disso, exige um excelente planejamento voltado à gestão de novas ideias que, assim como em qualquer outro tipo de empresa, precisarão ser testadas e demandarão esforços para encontrar formas de mensurar resultados e transformar estes dados em respostas que possam indicar potenciais soluções.

É aí que surgem as métricas que auxiliam na criação de produtos de tecnologia. Tais conceitos podem ser muito úteis, não somente para a empresa que deseja crescer, mas também para o acompanhamento daquela que já vem crescendo aceleradamente. Mas se você ainda não conhece nada sobre elas, que tal começar agora?

Porque utilizar métricas na criação de produtos de tecnologia

Simples: porque você precisa saber o quão certo suas ideias têm dado até o momento e entender mais sobre a performance de seu produto no meio tecnológico, bem como o nível de satisfação de quem está envolvido com ele. São estes itens, basicamente, que irão indicar suas chances de continuar sobrevivendo no mercado de tecnologia emergente e também de crescer, exponencialmente, dentro dele.

Principais exemplos de métricas e como utilizá-las

Para simplificar, vamos citar algumas das que mais têm sido aplicadas nas empresas de tecnologia e startups ultimamente:

Custo de aquisição de clientes (CAC)

Se refere, resumidamente, ao gasto que a empresa nova tem para transformar um lead (contato geralmente obtido por meio de ações de captação em ambiente digital) em um cliente real. Essa métrica mostra, na prática, o quanto a empresa “tem que gastar” até que consiga fazer com que seja o cliente, então, que comece a gastar com ela.

Ela pode ser útil para que a organização saiba o quanto precisa investir em um produto — desde seu design até suas funcionalidades e divulgação — para que ele efetivamente atraia a atenção do público consumidor e desperte interesse, não só em adquiri-lo, mas também em que continue sendo usado.

Índice de cancelamento (Churn Rate)

Se o CAC é uma métrica que se dedica mais a mensurar quantos clientes estão entrando para a base da empresa, o Churn Rate, em contrapartida, procura medir quantos estão saindo dela. É uma métrica essencial para que se possa equilibrar a equação e sempre procurar entender a existência de problemas nos quais se possa intervir para que esse índice seja sempre o menor possível. Ajuda, também, a verificar quando é necessário modificar algum produto ou até mesmo criar um novo.

Life-time-value (LTV)

É uma métrica que busca estabelecer uma “projeção” de quanto um cliente gerará para a empresa enquanto permanecer comprando dela. É como se, em outras palavras, ela “medisse o tempo de vida” de alguém como seu cliente. Serve, inclusive, para que a empresa possa definir melhor como investir em cada tipo de cliente, tendo em vista qual é o verdadeiro retorno que se obtém com cada um deles.

Além disto, ajuda a identificar tendências de consumo para que os clientes encontrem nela, sempre o que precisam e não se sintam impelidos a comprar da concorrência, fazendo com que se tornem fiéis a você por muito mais tempo.

Métricas de qualidade para produtos de software

Por fim, outro sistema de métricas dentre os mais conhecidos é o que se refere a mensurar o nível de qualidade de determinados produtos de software, que podem ser aplicativos, sistemas, entre outros. Funciona para avaliar, principalmente, a opinião dos usuários com relação à interface do produto, facilidade de uso, atendimento às expectativas, necessidades, modernidade e grau de otimização que o recurso traz às tarefas que eles precisam executar. Portanto, se você deseja criar um produto deste tipo para revender, por exemplo, não pode deixar essa avaliação.

Agora que você conhece um pouco mais sobre as métricas, já pode perceber que elas são fundamentais e podem fazer toda a diferença no seu negócio, não é mesmo? Que começar a implementá-las agora mesmo? Se você ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>