O que considerar na hora de escolher um sistema

aplicativo como sistema para empresa

Quando a Apple lançou seu sistema IOS, enfrentamos uma verdadeira quebra de paradigmas no mundo da informática e da tecnologia da informação. Se antes os usuários estavam acostumados com sistemas contra intuitivos, em que as máquinas “controlavam” as pessoas, hoje todas as empresas desenvolveram interfaces extremamente acessíveis, possibilitando o uso da tecnologia por qualquer pessoa. Dentro das organizações, o cenário também mudou.

A automatização é uma característica das empresas modernas, principalmente no caso das startups. No entanto, muitos empreendedores ainda cometem erros na hora de escolher ou criar seus sistemas internos. Na maioria dos casos, esses sistemas acabam criando ainda mais obstáculos em vez de dinamizar processos, pois não são desenvolvidos de uma maneira acessível e intuitiva, podendo ser usados e compreendidos por todos os colaboradores da organização.

Nesse post, pretendemos estabelecer os principais pontos que devem ser observados antes mesmo de implementar um processo internamente. Confira logo a seguir!

Identificação de necessidades

Antes de optar por qualquer sistema, é preciso fazer uma avaliação interna e planejar a implementação. É fundamental saber exatamente quais são os processos que carecem de automatização, e todos os outros que podem ser dinamizados através do sistema. Esse passo é importante para fazer a melhor escolha possível, tanto do ponto de vista financeiro (evitando, por exemplo, uma estrutura mais ampla que a necessária), quanto do operacional (verificando de que forma cada departamento utilizará o sistema).

Interface simples

Conforme vimos, esse deve ser um dos principais aspectos no estabelecimento de um sistema interno. Quando um sistema possui uma interface simples, não estamos apenas falando de design, mas também de acessibilidade. Esse aspecto é fundamental para disseminar qualquer tecnologia entre os colaboradores da sua empresa. Por isso, além de verificar se o sistema consegue atender as suas necessidades, faça um “test-drive” e verifique se ele é fácil de usar.

Verificação de compatibilidade

O sistema precisa ser integrado aos tablets e smartphones da empresa, ou será usado apenas nos computadores? Pode ser rodado em qualquer hardware e sistema operacional, ou exige uma estrutura mais pesada? Todos esses pontos técnicos devem ser avaliados, pois a empresa pode acabar implementando um sistema incompatível com a sua estrutura interna ou que venha a ter problemas no futuro. Procure estabelecer claramente as suas necessidades e especificações para o fornecedor, evitando quaisquer contratempos.

Disponibilização na nuvem

Por fim, outro ponto bastante importante é a disponibilização do sistema na nuvem para reduzir a necessidade interna com hardwares e, ao mesmo tempo, possibilitar o acesso às informações em tempo real através de qualquer ambiente. Essa é uma forma de tornar o sistema ainda mais acessível, permitindo também maior dinamismo e versatilidade para o seu uso. Vale lembrar, ainda, que é importante considerar a distribuição desse sistema na App Store, no Google Play ou na Windows Store, para que todos os interessados possam baixá-lo a qualquer momento.

E você, que pontos considera importante para a concepção de um sistema para empresas? Algum que não tenha sido citado no nosso post? Conte pra nós através dos comentários!